segunda, 13 de março de 2017 - 16:02h
Programa Amapá Jovem deve ser retomado em agosto
De acordo com a Secretaria de Inclusão e Mobilização Social, de início serão contemplados 837 jovens em todo o Amapá
Por: Eloisy Santos
Foto: GGPJC/SIMS
Do total de jovens a serem convocados em agosto, cerca de 350 residem em Macapá.

A Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (SIMS) se articula desde 2015 para o retorno das atividades do programa Amapá Jovem, que visa a inclusão e qualificação tanto de cunho técnico quanto profissional, de jovens com idade entre 15 e 29 anos, que estejam estudando ou frequentando cursos. De acordo com a SIMS, a previsão é que até o início de agosto do ano em curso os atendimentos ao público voltem a ser prestados.

De imediato serão convocados 837 jovens que foram visitados em todos os municípios do estado de abril de 2015 a abril de 2016 em uma grande ação que envolveu assistentes sociais, pedagogos e demais servidores da Secretaria. Deste total de beneficiários já mapeados, cerca de 350 residem na capital do estado, Macapá e o restante está distribuído nos outros municípios.

Como pré-requisitos básicos para participar do programa, os jovens devem, além de respeitar o limite de idade, possuir renda per capta de até meio salário mínimo, não possuir vínculo empregatício, estar em processo de aprendizagem, formação e qualificação e estar matriculado na rede oficial de ensino.

O Amapá Jovem foi lançado em 2009 na gestão anterior do governador Waldez Góes. Seguiu em execução até o fim do mandato. Em 2011, quando outra gestão assumiu o Governo do Estado, o programa parou de funcionar e em seu lugar, por meio de decreto, foi implantado outro de mesmo cunho, porém não com a mesma eficiência: o Onda Jovem, no fim de 2012.

O gerente geral de programas e projetos da SIMS, Gilvan Barbosa explica que muitos beneficiários do primeiro programa foram excluídos sem quaisquer cuidados ou mapeamento minucioso, o que deixou de fora muitas pessoas que precisavam e algumas que continuaram sendo assistidas mesmo sem não se enquadrar mais nos requisitos necessários.

“Foram excluídos nessa gestão, mais de 11 mil beneficiários do programa Amapá Jovem de forma aleatória. Os demais foram realocados para o ‘Onda Jovem’, porém, eles não conseguiram executá-lo da forma que deveriam. Houve falta de organização e de planejamento para que fosse atingida a principal finalidade: que o jovem saia do programa com sua autonomia formada e que este seja protagonista da sua própria história daí em diante”, enfatizou o gestor.

Levantamento para retomada
Mediante o cenário de ineficácia do programa substituto ao Amapá Jovem implantado pela outra gestão, no início do ano de 2015 a equipe da SIMS que inclui assistentes sociais, pedagogos e coordenadores, realizaram mapeamento com visita in loco a 4.228 beneficiários que foram assistidos pelo Onda Jovem, a fim de saber quem eram, como estavam estes jovens e onde estavam.

A partir do levantamento, de acordo com Gilvan Barbosa, foram descobertas irregularidades, dentre elas, a falta de interesse dos jovens em permanecer no programa. Em alguns casos, eles mesmos pediam para ser desligados por que o programa não era interessante. “Outras pessoas estavam no programa e nem sabiam que estavam. Estas situações nos fizeram permanecer com o programa parado entre 2015 e 2016, para verificar quem ainda se enquadrava nos critérios”, frisou.

De todas as pessoas visitadas, ainda de acordo com o gerente, além dos 837 aptos a permanecer, cerca de 1.152 obtiveram avaliação desfavorável e foram desligados do programa e mais de 2 mil estão com o cadastro bloqueado por não terem sido encontrados.

Eixos de atendimentos
A SIMS ainda está organizando os atendimentos a serem ofertados, que agora serão enquadrados em eixos. O eixo “Capacita Jovem”, por exemplo, vai assistir jovens na faixa-etária entre 15 e 29 anos de idade com oferta de cursos de capacitação profissional, visando a demanda do mercado de trabalho local. Os cursos devem ocorrer no contra turno do horário escolar com atividades teóricas e práticas.

Por sua vez, o eixo “Saberes da Terra” será voltado para a vocação produtiva do beneficiário, tanto para a agricultura quanto para o empreendedorismo individual, na área rural e urbana, para manejo e plantio.

“Estamos finalizando os eixos que devemos retomar do programa. A previsão da secretaria é que as atividades sejam retomadas no início do mês de agosto”, pontuou o gerente.

A secretaria está programando ainda reuniões de caráter colaborativo com o público jovem para que estes possam dar suas contribuições e opiniões sobre o formato do programa.

Realocação
Jovens do estado excluídos do benefício “Renda para Viver Melhor” poderão ter seus cadastros reaproveitados para o programa. “O jovem excluído do benefício do Renda que ainda está dentro dos critérios do Amapá Jovem pode ser absorvido para este. Há 90% de chance de isso acontecer, mas ainda está sendo analisada esta hipótese”, finalizou o gestor.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá