segunda, 17 de julho de 2017 - 14:34h
Estado viabiliza documentação de cavalos utilizados nas encenações da Festa de São Tiago
Trata-se de documento obrigatório para o trânsito interestadual e local de 40 animais que serão deslocados para Mazagão Velho
Por: Ailton Leite
Foto: Maksuel Martins/SECOM
A documentação permite, ainda, aos serviços de defesa agropecuária acompanharem a movimentação de animais.

O governo do Estado entregou nesta segunda-feira, 17, ao representante da Associação Cultural da Festa de São Tiago, a documentação que autoriza e regulamenta o trânsito dos animais, que irão participar do evento em Mazagão Velho. Trata-se da Guia de Trânsito Animal (GTA), um documento oficial federal, de emissão obrigatória, tanto para o trânsito interestadual como local de animais, independente da finalidade.

Serão 40 cavalos – 20 vindos do Pará, 15 de Macapá e 5 de Mazagão – autorizados a participar das encenações da tradicional batalha entre Mouros e Cristãos, na tarde do dia 24 e durante o dia 25. A previsão é de que os animais cheguem à Mazagão neste sábado, 22, para que tenham tempo de descansar. Após a festa, os animais retornarão aos seus locais de origem.

De acordo com José Renato Ribeiro, diretor-presidente da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá, responsável pela documentação, as tratativas entre o órgão e a entidade que organiza a festividade iniciaram há dois meses. “Para evitar contratempos, este ano, iniciamos as conversas com antecedência com a organização da Festa pra que tudo ocorra da melhor forma possível”, pontou.

Ele explicou, ainda, que a documentação permite aos serviços de defesa agropecuária acompanharem a movimentação de animais, evitando, assim, a introdução de doenças que possam pôr em risco a população ou causar prejuízos aos produtores.

“Esta guia é solicitada pelo proprietário que apresenta a documentação sanitária do animal, na qual estão relacionadas as informações sobre os testes de anemia infecciosa equina. Se o resultado for negativo, o animal é liberado para trânsito, tanto local quanto entre outros Estados”, explicou.

Sobre a vinda dos animais do Pará, o presidente da Associação Cultural da Festa de São Tiago, Elton Jacarandá, disse que a opção se deu por questões orçamentárias e por recusa de alguns criadores locais. “Temos alguns puros-sangues no Estado, mas os proprietários se recusaram a nos alugar devido a forma como eles são utilizados durante a festa. Por exemplo, colocamos ferraduras e cavalgamos por ruas de bloquetes. Para esse processo, os animais de fora, a maioria mestiços, são mais resistentes”, explicou.

Assim que chegarem em Mazagão, os animais passarão por inspeção para saber se estão aptos à participar do evento. A verificação será realizada pela responsável técnica da festa e médica veterinária Bárbara Benincasa. “É importante manter a saúde física e mental destes animais para garantir a segurança de quem for participar da festa”, explica.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá