quarta, 19 de abril de 2017 - 19:21h
Governador conhece reivindicações e encaminha soluções durante II Fórum Indígena
Reunião com caciques fez parte da programação alusiva ao Dia do Índio.
Por: Elder de Abreu
Foto: Wenndel Paixão
Governador ouviu as dificuldades dos indígenas e encaminhou soluções para os problemas apresentados

Um dos momentos mais importantes do II Fórum Indígena do Amapá, evento organizado pelo governo em alusão ao Dia do Índio, foi o encontro do governador Waldez Góes com caciques de mais de 50 aldeias da região do Uaçá, localizada no extremo norte do estado. A reunião ocorreu nesta quarta-feira, 19, na Aldeia do Manga, a 18 km da sede urbana do município de Oiapoque.

Acompanhado de secretários de Estado, o chefe do Executivo ouviu e debateu, durante mais de quatro horas, os problemas e soluções para as reivindicações das lideranças. A população indígena lotou o Centro Comunitário da Aldeia do Manga, local do encontro.

As principais dificuldades expostas pelos representantes de nove etnias são relacionadas à saúde, educação, energia elétrica e infraestrutura de transportes.

A cacique Creuza Iaparra, que é vereadora do município de Oiapoque, resumiu os problemas com a educação. Segundo ela, a situação da BR-156, principal meio de acesso à região, é o centro das deficiências no transporte escolar para as crianças indígenas. “Com as péssimas condições das vias, não há como levar as crianças de carro para a escolas que ficam ao longo da rodovia, o ônibus quebra toda hora”, enfatizou a liderança.

O diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Fábio Vilarinho, que foi ao encontro a convite do governador, informou que existem dois contratos relativos a dois trechos dos 110 km da BR-156 que ainda não estão pavimentados no trecho norte. Segundo ele, as chuvas das duas últimas semanas que castigaram a rodovia dificultaram até mesmo os serviços de manutenção. Entretanto, a partir de segunda-feira, 24, o número de máquinas deverá aumentar para intensificar os trabalhos de recuperação.

“Quanto à pavimentação, temos assegurados R$ 260 milhões para pavimentar os 110 km. A ordem de serviço para a primeira parte das obras já foi assinada e o consórcio contratado já está fazendo os estudos topográficos que antecedem a pavimentação. O provável é que as obras iniciem a partir de junho, quando o período chuvoso está terminando”, explicou Vilarinho.

Outra reivindicação muito ressaltada foi a escassez de profissionais indígenas na saúde e na educação. O chefe do Executivo acenou com a possibilidade de disponibilizar contratos administrativos para professores e agentes de saúde. Contudo, essa opção fica condicionada a levantamentos de viabilidade das duas secretarias.

Os constantes defeitos nos grupos de geradores das aldeias da região, que causam a interrupção da energia elétrica, foram outra pauta muito reivindicada. Os indígenas querem que o governo e a União unam forças para solucionar o problema. Góes respondeu que vai trabalhar a questão na quinta-feira, 20, quando cumprirá agenda em Brasília, e vai articular soluções em âmbito federal.

Na esfera estadual, o governador informou que a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) trabalha para montar uma equipe de reparos especializados em elétrica. Os técnicos seriam responsáveis pela manutenção dos grupos geradores que abastecem as aldeias.

“Este encontro foi importante porque hoje, Dia do Índio, é um dia para refletirmos sobre os problemas, mas também de repactuar os compromissos. Por isto, eu e a equipe de governo viemos conhecer de perto as dificuldades das comunidades informadas pelos caciques para encaminhar cada solução à secretaria devida e as reivindicações que forem de competência de outras esferas de poder, nós faremos as articulações políticas necessárias para que as providências sejam tomadas”, avaliou Góes.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá