terça, 28 de março de 2017 - 12:22h
Diálogo entre governo e líderes comunitários discute melhorias nos bairros
Chefe do Executivo e secretariado ouviram demandas e apresentarão estratégias de ação nas comunidades
Por: Lilian Guimarães
Foto: Marcelo Loureiro
Secretários das pastas responsáveis pontuaram as devidas soluções para as demandas apontadas

Os anseios e demandas do povo da Zona Sul foram recebidas pelo governador Waldez Góes, e sua equipe técnica, na manhã desta terça-feira, 28, no Palácio do Setentrião, durante a reunião com as lideranças de mais de dez bairros.
Buritizal, Congós, Muca, Nova Esperança, Santa Inês, Trem, Jardim Marco Zero, Beirol, Novo Buritizal, Zerão, entre outros bairros, estiveram representados na reunião onde as principais demandas foram sobre pavimentação, falta de sinalização, segurança e melhorias na distribuição de água. Demandas de responsabilidade dos municípios como mais vagas para o ensino infantil e atendimento nas unidades básicas de saúde também foram apresentadas pelos moradores.

O chefe do Executivo iniciou a reunião com um panorama das dificuldades enfrentadas nesses dois anos e três meses de gestão, principalmente relacionadas aos R$ 2,6 bilhões da dívida contratual do Amapá, firmada diretamente com os bancos públicos.

“Quando saí do governo em 2010, a dívida contratual era de R$2 milhões por mês, e infelizmente quando retornei, esse número havia saltado para mais de R$ 30 milhões por mês. E esse recurso, tem feito muita falta, principalmente no que se refere a folha de pagamento do funcionalismo”, explicou Waldez.

O governador complementou dizendo que não se acomodou, mesmo diante de tantas dificuldades. “Infelizmente assumi o estado durante um momento de crise. Mas, isso não me impediu de trabalhar, minha equipe não se acomodou e durante esses dois anos que foram muito difíceis. Organizamos a estrutura do governo e trabalhamos em cima de projetos e captação de recursos para que pudéssemos fazer os devidos investimentos”, ponderou.

Waldez destacou medidas de contenção até consolidação da política de controle. Entre elas a Central de Licitações, que padroniza as compras públicas, o fim do calote institucional ao fornecedores nas rubricas de restos a pagar e a abertura do orçamento simultânea ao exercício financeiro de 2017. Além do pacote de medidas de controle interno que começou a ser formatado em 2015, com a entrega de senhas de acesso ao Sistema de Planejamento, Orçamento e Gestão (Siplag) aos órgãos de fiscalização, permitindo o acompanhamento dos gastos públicos ao Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Assembleia Legislativa e Ministério Público Estadual (MPE).

Investimentos
O governador pontuou que, mesmo diante da crise, a organização da gestão e das contas públicas permitirá investimentos – pavimentação em vários bairros da capital, inauguração de unidades de saúde; ampliação no segundo semestre de programas sociais como o Renda para Viver Melhor; adesão aos programas federais Criança Feliz e Programa ID Jovem, este último deverá beneficiar até 80 mil jovens.

Na segurança pública serão investidos pelo menos R$150 milhões no sistema penitenciário, nas policias Civil e Militar, Bombeiros e equipamentos para segurança, além dos investimentos da gestão que lançará o edital no decorrer do ano para concurso público para as polícias e Politec. Somados aos investimentos já entregues a sociedade, como a renovação da frota de viaturas e a aquisição da aeronave do GTA, que desde a sua entrega já realizou mais de 400 atendimentos.

Solicitações das comunidades
No bairro Nova Esperança, a demanda principal foi pavimentação. “O município tem feito apenas tapa-buraco em nossas vias, sendo que muitas ruas nem asfalto tem. Decidimos recorrer ao governo do estado, que sempre foi nosso parceiro, pois estamos cansados de sofrer com tanta lama e poeira”, reivindicou o morador Sidnei Azevedo.

Congós e Novo Buritizal anseiam por mais policiamento. “Precisamos de mais policiamento nos bairros Congós e Novo Buritizal devido as ocorrências de furtos de celular e outros objetos”, solicitou José Ribamar, em nome da comunidade.
No Distrito da Fazendinha os moradores pediram atenção no abastecimento de água. “Nossa principal reivindicação dentro do bairro Murici, na Fazendinha, está relacionada a falta de água. Infelizmente dependemos de água de poço artesiano e nem todos podem ter, então, pedimos atenção do governo para o nosso bairro”, alertou João Silva.

Muca, Jardim Marco Zero e Zerão solicitaram mais vagas no ensino infantil e mais médicos nas unidades básicas. “Educação e saúde são prioridades, e temos que sair dos nossos bairros para levar nossos filhos para outras escolas distantes por falta de vagas. O mesmo problema se repete nas unidades básicas, que é muito difícil conseguir atendimento. Então, pedimos essa interlocução do governador junto ao município”, pediu o morador do Zerão, Jucimar Coimbra.

Pronta resposta
O governador solicitou aos gestores presentes os devidos encaminhamentos para as demandas de responsabilidade do estado. Os secretários das pastas responsáveis pontuaram as devidas soluções para os problemas apontados e se comprometeram trabalhar integrados junto com a comunidade. Quanto aos problemas que são de gestão do município, o governador fará a interlocução na ampliação de vagas para a educação infantil e deficiências nas unidades básicas de saúde.

“O diálogo é muito importante. Governamos representando o povo do Amapá. Somente eles podem nos trazer as dificuldades enfrentadas nos bairros. Claro que não podemos solucionar tudo de uma vez, mas, trabalhando de forma integrada teremos muitos avanços”, compartilhou Waldez.

Macapá, conta com mais de 80 bairros, priorizando o diálogo com a população, o governo tem realizado agendas setoriais, para que todas as demandas possam ser recebidas pela gestão. A agenda popular terá continuidade na tarde desta terça-feira, 28, com a reunião com representantes dos bairros da Zona Norte, e nos próximos dias, com os demais municípios.

Secretarias presentes
A reunião foi acompanhada pelos representantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Secretaria de Estado de Infra-Estrutura (Seinf), Secretaria de Desenvolvimento das Cidades (SDC), Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sejusp), Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Secretaria de Estado da Educação (Seed), Secretaria de Estado da Juventude (Sejuv), Secretaria de Estado de Transportes (Setrap) e o Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Amapá (Imap).

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá